Publicidade
Toque de Alerta - toquedealerta.com.br
SAÚDE
Segunda - 11 de Dezembro de 2017 às 15:42
Por: Redação TA c/ Secom-CBA

    Imprimir


O projeto de ‘desospitalização’ inserido pelo prefeito Emanuel Pinheiro, no Comitê Emergencial de Gerenciamento da Superlotação do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC) - decreto Nº 6.411 - 2017 -, foi destaque no INFECTO - Congresso Goiano de Infectologia e Encontro de Ligas Acadêmicas de Infectologia, ocorrido em Goiânia - Goiás, neste fim de semana.

Na oportunidade, a infectologista cuiabana, Dra.Taynná Ferraz Corrêa, explicou como o projeto que nasceu em 2014, com base na Portaria 1208/13 do Ministério da Saúde, formulou estratégias e políticas para assegurar a saúde de pacientes que por vezes passavam meses e até anos no ambiente hospitalar, por doenças crônicas ou tratamentos de longo prazo. A médica também ilustrou como ele será usado para melhorar o fluxo de atendimento no Pronto Socorro de forma a diminuir a superlotação na unidade, garantindo, sobretudo, a qualidade de vida e humanização.

“A desospitalização nasceu da necessidade de oferecer um atendimento digno às pessoas que estavam hospitalizadas por muito tempo no PS. Passamos a estudar quadros clínicos estáveis que possibilitassem o uso da medicação em casa, ou na unidade de saúde mais próxima. Após serem considerados uma série de fatores dentre os quais as condições psicossociais, de moradia, transporte e familiar de cada paciente, ele torna-se apto a receber alta médica. Posteriormente, enviamos para a unidade referência da Secundária, Policlínica ou Unidade de Pronto Atendimento 24h – UPA, os kits de medicamentos necessários para o tratamento, no caso de injetáveis. Quando via oral, os medicamentos são entregues aos próprios pacientes. Além disso, ofertamos o acompanhamento semanal até a completa cura”, descreveu.

Conforme dados apresentados pela infectologista no evento, além de contribuir com a rotatividade dos pacientes proporcionada pela liberação de leitos, o processo de recuperação do doente no ambiente familiar é mais eficaz, uma vez que ele deixa de se expor às bactérias hospitalares e isso favorece o controle de infecções e diminui as chances de morte.

“Desde o inicio do projeto 24 pacientes do PS foram desospitalizados. Destes 16 receberam alta com sucesso, 4 foram encaminhados ao município de origem, 3 continuam em acompanhamento e apenas 01 foi reinternado. Isso demonstra o sucesso do projeto até aqui”, frisou.

Conforme a diretora do Pronto Socorro, Zamara Brandão após o decreto nº 6.411- 2017, o projeto passará por reforços na composição de equipe e restruturação para atuar com mais ênfase, visando à diminuição na superlotação da unidade. “Inicialmente vamos fortalecer o vínculo com a Atenção Secundária para continuarmos desospitalizando. Mas, para as ações de impacto pensadas no Comitê, objetivamos a construção de um Centro de Infusão, ambulatório de feridas, tecnologia em curativos, ambulatório de infectologia, Cateter de PICC (permanece na pele evitando a pulsão a cada uso de medicamentos injetáveis) e novos antimicrobianos – comodidade posológica/ comorbidades. Tudo isso trará ainda mais conforto para desospitalizarmos o maior número de pessoas possíveis e se Deus nos permitir, zerarmos as filas nos corredores”, disse.

Na quinta-feira (07), durante a 8ª Reunião Ordinária da Comissão de Intergestores Bipartite de Mato Grosso, a secretária Municipal de Saúde, Elizeth Araújo, solicitou inserção na pauta para a exposição do projeto. No ato, a Secretária enfatizou aos representantes dos 141 municípios, que existem pessoas internadas no PS há mais de anos. Segundo ela, foi pensando nessas pessoas que o prefeito Emanuel Pinheiro adotou mais este gesto de humanização.

“Temos pacientes crônicos de 300, 400 e até 500 dias internados na unidade. A sensibilidade do prefeito permitirá que essas pessoas voltem para o aconchego de seus lares e continuem recebendo a assistência médica necessária e nós daremos todo o suporte necessário para isso. Imaginem uma pessoa tanto tempo longe de seus familiares, isso é desumano! Com a desospitalização e o apoio de cada município conseguiremos corrigir isso”, pontuou a gestora.

Em nome dos membros, a presidente do COSEMS MT, Silvia Regina Cremonez Sirena consolidou o apoio. “Já fazíamos essa dobradinha com alguns pacientes crônicos de hospitais filantrópicos e estamos prontos para fazermos o mesmo com o Pronto Socorro. Reconhecemos o trabalho fantástico que os profissionais do PS fazem para salvar as vidas que chegam para eles e somos gratos por isso. Mesmo com todos os problemas, os Pronto Socorro de Cuiabá ainda é o salvador de vidas de todos os municípios. Você Elizeth e o prefeito Emanuel Pinheiro podem e poderão sempre contar conosco”, finalizou.





URL Fonte: http://toquedealerta.com.br/noticia/33770/visualizar/