Publicidade
Toque de Alerta - toquedealerta.com.br
GERAL
Sexta - 29 de Dezembro de 2017 às 14:59
Por: Redação TA c/ Secom-CBA

    Imprimir


Michel Alvim

A Vigilância em Saúde, órgão responsável pelas ações de vigilância, prevenção e controle de agravos, atua desde 2010 com o Programa Vida no Trânsito (PVT). Coordenado pelo Ministério da Saúde em cooperação técnica com a Organização Pan Americana de Saúde (OPAS), o programa foi implantado nas capitais com mais de 1 milhão de habitantes, com o objetivo reduzir as mortes e lesões no trânsito.

Em Cuiabá, o PVT teve inicio em 2013, com a assinatura do Termo de Compromisso pela Secretaria Municipal de Saúde. O programa foi implantado pela Gerência de Doenças e Agravos não Transmissíveis da Diretoria de Vigilância em Saúde que a partir de 2014 iniciou a integração das informações por meio de uma comissão intersetorial a Comissão de Coleta, Análise de Dados e Gestão da Informação por meio da Portaria nº 29/2015/SMS.

Para coordenar essas ações, em maio deste ano, o prefeito Emanuel Pinheiro oficializou a criação do Comitê Municipal de Mobilização pela Saúde, Segurança e Paz no Trânsito (CMSPT). Criado pelo Decreto 6.268, de 12 de maio, o Comitê é composto por representantes das Secretarias Municipais de Saúde, de Mobilidade Urbana e de Educação. Sua finalidade é diagnosticar a situação da saúde, segurança e paz no trânsito e promover a articulação e definição de estratégias intersetoriais, melhorando a segurança e promovendo a saúde e a cultura da paz no trânsito.

“Essas ações visam fortalecer as políticas de prevenção por meio de informações qualificadas, planejamento, monitoramento, acompanhamento e avaliação. Nosso objetivo é promover intervenções efetivas de segurança no trânsito a fim de que a população cuiabana tenha uma melhor qualidade de vida e possa transitar com segurança nas ruas da cidade”, salientou o prefeito Emanuel Pinheiro reafirmando o compromisso da sua gestão em enfrentar os desafios para a redução dos acidentes e mortes no trânsito.

Informações

Entre as ações realizadas em 2017, a Gerência de Doenças e Agravos Não Transmissíveis reuniu as informações relativas ao tema e divulgou esta semana o Boletim Epidemiológico da Vigilância dos Acidentes de Trânsito relativo ao período de 2014 a 2017.

Para a o diretor da Vigilância em Saúde, Oscar Benedito de Campos, essas informações, reunidas no boletim, são fundamentais para que os órgãos responsáveis pelo ordenamento do trânsito possam planejar suas ações. “A integração das informações é essencial para que a partir da determinação da causalidade desses acidentes, possamos subsidiar os gestores em relação às decisões e intervenções nas áreas do planejamento, gestão, vigilância e assistência, nos diferentes setores envolvidos, visando um trânsito mais humanizado e seguro para pedestres e motoristas”, disse ele.





URL Fonte: http://toquedealerta.com.br/noticia/33884/visualizar/